2 de mai de 2007

.................................................................................................................06/05/2008Enrolando a gente com papel recicladoUsar papel reciclado artesanalmente é gratificante, pois acha o ser humano que ajuda a natureza a poupar alguma árvore por aí. É que ele pensa que ela ficará de pé nalguma floresta. Falsos ecólogos ou ambientalistas propagam isto e nós inocentes úteis embarcamos. Foi-se este tempo heróico. Hoje todo papel é fabricado a partir de florestas de eucaliptos e pinus plantadas para isto. Reciclar papel polui mais que fabricá-lo a partir da celulose das plantas. Gasta-se mais energia, água e insumos químicos. Enquanto isto uma floresta de eucalipto ou pinus fixa CO2 poluente livrando a nós e animais dele, que é porém, alimento essencial para a existência da planta. Ajuda na remoção de um dos causadores do efeito estufa. E agora? Perde-se a diversidade animal da mata que não tem o que comer numa cultura homogênea por falta de folhas, frutas e raízes adequadas, principalmente em relação ao eucalipto alienígena cujo fruto é uma piorrinha seca sem polpa, quase do tamanho de um ervilha, com apenas sementes microscópicas; ganham as abelhas para fabricarem mel de excelente odor e sabor.Papel para imprimir ou escrever, o bom é o branco sulfite, o resto é lero-lero para boi dormir. O reciclado pode ser tão branco quanto o original, então por que aquela cor palha ou pastel tão ecológica? Pura enganação. O reciclado é fabricado branco e na sua depuração recebe corante para parecer o que é. Os fabricantes intuíram que a cor parda seria emblemática. Ele se destina principalmente a embalagens (papelão - 80% - hipercorado), fins sanitários (18%- alvejado-branco inocência) e impressão (2% - a cor do engano). Ah, tá! Sanitário, sanitas, saúde – usá-lo atrás das pudendas partes, lugar de expulsão de porção de nossa poluição interna, com fins nobres. Limpa o que fica grudadinho, ali pela mucosa, uma vez que a maior porção desce direto a céu aberto para rua ou para beirada de estrada; de um barco ou por encanamento alcança rios e lagos, mares e oceanos – aos peixes, é! Peixes comem fezes! Também se agasalha com produtos químicos nos banheiros ditos. Apesar de tudo o reciclado pode ser usado em novos processos, 8/10 vezes até que a celulose não agüente mais. As fibras celulósicas vão diminuindo no comprimento até não conseguir-se que façam a trama inicial.O papel reciclado virou moda no Brasil, idéia macaqueada da Europa e EE UU. Muitas empresas e instituições enxergaram no seu uso uma forma de se penitenciar junto a um certo público. Seus lucros exorbitantes se dirigem a este uso porque seu cliente desinformado acha que elas fazem um uso decente, ele lê folders bem preparados- elas obtém acumpliciamento de jornais e revistas (que não usam papel reciclado). Bancos estão adorando, se acham fazendo boas ações sócio-ambientais. O papel é de má qualidade– as aparas, que são o insumo tem dezenas de más procedências, a ponto de fabricantes de impressoras ou proprietários de gráficas desaconselharem seu uso.Pelo que se sabe, este problema não é exclusivo do Brasil. A virose reciclante é doença vivenciada em muitas nações. Há tempos, cinco empresas fabricantes de papel, entre elas a Nippon, admitiram fraude na fabricação do reciclado. Elas admitiram que mentiram quando diziam usar mais material reciclado do que a realidade. Resultado, grandes clientes estão desistindo do uso deles. O presidente da Nippon (japonesa) pediu o chapéu, deram-lhe a demissão. Toda fraude e ou mentira de consumo afeta nossa saúde, faz nascer crianças com alergias, provocam doenças e defeitos genéticos – há sempre um gigante por trás. Fabricam lucros fabulosos sem dó nem piedade sobre o que somos, números e moedas.O que vc acha disto, continuará a usar o papel reciclado?***Por incrível que pareça, contra-cheques que recebia do Governo Federal em papel reciclado (caro), hoje dia 9 de maio chegaram no mais ecológico papel branco. São emitidos mensalmente cerca de 1.500.000. ......................................................................................................................08/04/2008Tristeza ter que violar a consciência, principalmente duas, agora três para a partir de uma realidade confessada intra-muros, montar-se uma farsa que negue as evidências que vão sendo mostradas cientificamente. Sina de advogado criminal.Em São Paulo, cidade dotada de uma polícia civil, que está mostrando uma capacidade científica digna de ser mostrada em TV a cabo – e quando algum grupo pensar no alcance disto – só poderá contar mesmo com produções paulistas - bom para a cidade, invejável para os outros estados da federação. Daqui a alguns anos criminosos hediondos, como os que vitimaram a pequena Isabella, não ficarão escondidos, poderão até continuar impunes. Mesmo que contem com defensores que arranjam álibis ou desculpas ou falsas evidências, tais como entonações de voz, teatralizadas até sem convicção – a voz em falsete vem de um cérebro horrorizado que tenta enganar a outros. Pára... Pára... Pára... pai... pai!!! teria dito a criança, pedindo agônica que o pai viesse socorrê-la, que parasse uma ação nefasta por acompanhante circunstante, por Pára... Pai... onde “pede socorro ao pai ausente”, pela agressão que está sofrendo. Disse um dos defensores que se tratava de uma terceira pessoa – que não é explicada se homem ou mulher, estranho a todos. Vizinhos ouviram demais?A polícia não encontra evidências da presença de terceiros. Não há sinais de arrombamento nas portas do apartamento. Mas encontra sangue da menina no corredor, no quarto, na bermuda do pai, restos dos fios da tela cortada na camisa que vestia (imagine-se a identificação microscópica destes restos em meio às fibras do vestuário). Parte de uma pegada de tênis carimba um lençol que cobre uma das camas junto da janela. Serviu de apoio para se alcançar a tela cortada à faca (esta levaria o autor do buraco a ficar mais próximo da tela) ou tesoura. Se a criança fosse atirada de ponta-cabeça, como se diz em SP, teria havido fratura de crânio com eliminação de porções cerebrais e fraturas cervicais. Daí a conclusão de ter sido jogada segura pelos braços. Se caísse em pé faria fratura de base crânio. Como sangrava minimamente por ferida na testa, devido à pressão baixa, em estado de choque pela fibrilação cardíaca, pouco manchou seus agressores, que se ajudaram mutuamente no ato de um segurar as pernas e o outro pelos ombros e braços para passar o corpo pelo buraco. Por que o assassinato com a queda? Por que o agressor inicial, perdeu as estribeiras e asfixiou a criança no carro. Com ela desmaiada(?!) achou-se que morrera. O amor aloucado entra em ação. Supostamente morta a menina, há que se proteger o causador (involuntário na cabeça do ajudante atônito). O crime tem cadáver, como escondê-lo? –Ela morreu! E agora? Só tem um jeito, vamos fingir que alguém a jogou pela janela como vingança contra um de nós. Vai dar tudo certo... (Não dará).Acha que não deve seu parceiro assumir o assassinato (?) por asfixia. Os cérebros maus, um deles disparatadamente agressivo por constância, unem-se na urgência do desvario para se tirar o corpo fora da tragédia (sem trocadilho).

Eliana maria josé16/03/2008Senador Cristovam Buarque, li seu artigo Defesa da Vida no O Globo; lá não publicariam minhas observações na íntegra, aqui publico.A humanidade não se defronta com questões éticas quanto ao uso da ciência e da tecnologia; ela não está nem aí, se considerarmos que além de três bilhões, cento e cinqüenta milhões mais um habitante seja maioria sem sintonia educacional e instrutiva uníssona neste planeta errante. A babel aumenta progressivamente.O universo das questões éticas é muito menor e passa ao largo de países pragmáticos onde assuntos com relação ao uso de células tronco nem é coisa do passado, é objeto de pesquisa científica progressista, mesmo que implique gestão de recursos que gerarão lucro aos investidores. Porque sem dinheiro nada se pesquisa. Morte cerebral é fato, conservação de corpo com vida com possibilidade de retorno vígil mostrou-se até agora impossível, no entanto, capaz amanhã com o uso de tecido neuronal originado de células tronco.No tocante aos embriões hoje conservados em clínicas de fertilização, quando da criação do método fertilizador artificial, a celeuma levantada por setores religiosos foi risível, quase inquisicional. Hoje há milhares de seres humanos nascidos e criados, batizados, comungando fé cristã ou não, doando haveres ou pagando dízimos. Pelas religiões o mundo estaria menos populoso artificialmente, porém a ciência e a tecnologia cuidam da saúde e da oferta de alimentos.No caso particular do Brasil, interessados togados e não, e o senhor, com todo respeito, ainda não se entenderam sobre o que é vida. Propalam que após a fecundação é que ela passa a existir. Porquê não conseguem entender que um óvulo e um espermatozóide têm vida? Este até sabe nadar. Descabriolado, mas sabe! É até cômico vê-los encetando uma disputa na busca de um óvulo. Microscópio, sabe? Sem vida, ele e óvulo não gerariam embriões. doando haveres ou pagando dascido no, Com vida, porém deficitários, produzem embriões defeituosos que chegarão ou não a termo; estes, com doenças ou defeitos compatíveis com a vida terrestre ou não, caso da anencefalia (veja-se que neste país setores retrógrados e maus impedem que sejam abortados). Os preferem que morram a mingua de oxigênio. A ciência vem explicando às religiões, com pesquisas, desde Leuwnhoek (1676), toda a pujança da produção de, no caso, um ser humano, eis que desde antanho a ignorância falava tão somente da semente a depositar no ventre e dali surgir o varão ou a varoa (?!). Todo esclarecimento era recebido à tapa e escárnio além de esconjuração. Quão ridículo! E a ciência a ajudar a gregos e troianos. Melhorando as condições de vida.No caso dos embriões congelados com qualquer idade, estão vivos, há vida latente, basta serem aquecidos no meio nutriente adequado (como as sementes que brotam depois do inverno nas regiões árticas e subtropicais) para serem usados para o bem. A questão é: em média, no final de três meses serão descartados, porque seus donos já obtiveram resultados almejados e nem sabem quantos são. Não irão gastar dinheiro para mantê-los, há que se cuidar do ou dos rebentos almejados. Muito menos a clínica. Serão desprezados. Irão para o lixo. Reconheça-se sem pejo. Lixo. Não é nobre. A nobreza está na doação formal para que sejam levados a progredir como tecidos humanos diferenciados e tenham a vida asssentada num ser humano. Pessoas prolongarão suas vidas, as terão mais capazes, levantarão e andarão de suas cadeiras e leitos, terão controle e cura de suas doenças degenerativas.Senador, estou de seu lado! Que mentes se iluminem, que saiam das trevas. Que haja menos covardia com os seres que já são humanos e que podem receber com muita alegria e esperança a doação dos tecidos humanos advindos das não menos humanas células-tronco. .................................................................................................................14/02/2008BLOGAGEM COLETIVAContra a pedofilia, em defesa da inocência. Dia da Amizade e o Dia Internacional do Amor. Com animais não se percebe atividade sexual entre machos e fêmeas adultos e seus filhotes. Na época do cio, alguns dias de atividade, o alvoroço é grande e intenso, há correria, luta entre machos adultos novos e velhos. Quase sempre pelo domínio de grupos de fêmeas que serão depositárias da herança paterna do vencedor, principalmente entre símios. Com algumas espécies de mamíferos surge um harém, com outros não. Acasalam-se por minutos e termina aí.Mas há uma peste de mamífero que fugiu do controle da natureza e botou o mundo de cabeça para baixo e ou de cabeça para cima. Provocou uma revolução cuja origem se perdeu nas brumas do passado. Saiu do cio anual ou semestral, trimestral ou bimensal e acompanhou a lunática da lua, sem que esta esteja cabriolando pelo espaço tomando conta das mulheres, ou seja, cada uma menstrua em dias mais ou menos aprazados em média em ciclos de 28 dias, de forma que do dia primeiro a trinta de todo mês o ar poluído do planeta se enriquece dos feromônios lançados às narinas masculinas pelo conjunto das mulheres. De dia, de noite, de madrugada, todas as faixas ignaras do que se chama sociedade dos homens cheiram, mas não “sentem” o atrativo odor emanado pelas fêmeas produtivas. A cabeça masculina que pensa não pensa, entra em crise, e sai à cata do par, seja a de casa, a da outra casa, de casas outras e as das ruas e praças. São os atirados, aventureiros, caçadores sãos ou não e etc.Há uns outros, de cuca estragada, que ficam dentro de casa, casados ou não, em mosteiros, igrejas, colégios, sempre mal amados que plantam arruaças silenciosas, traiçoeiras, contra as crias de pouca idade, chamadas de crianças. Dizem os médicos e homens da lei que eles têm transtornos parafílicos, com fantasia e excitação sexual intensa e buscam a satisfação com seus filhos, sobrinhos, colegas de filhos, alunos e outros. Conscientes da desproporcionalidade entre os atributos sexuais de crianças e adultos estes filhos de égua fazem a prática do sexo oro-genital em quase cem por cento dos casos, seja vice ou versa. Difícil incriminá-los por não deixarem marcas físicas dependem de denúncias de pais que ouvem de filhos suas queixas para levá-las ao conhecimento do aparelho repressor. Os mendigos os praticam, a população de rua, os sem tetos e sem terra, os com casa, palacetes, automóveis e barcos; está tudo contaminado; há muito padres e outros religiosos que praticam o deixai vir a mim as criancinhas. Há os pais que consentem em troca de vantagens pecuniárias. Do seu lado tem um pedófilo, no teatro outro e no cinema mais alguns e agora no mundo cibernético os patifes encontram sua praia larga e cheia de ondas para suas fotos, filmes e relacionamento, donos do poder pornô-pedofílico a vender suas produções espúrias calcadas na inocência da criança, seu desejo por doces e brinquedos. Corporações na internet, em ditos Portais, em salas de chat, sites de relacionamento têm escancaradas a licenciosidade para o comércio pedofílico de terceiros e também em benefício próprio pelo faturamento com anunciantes. A polícia de todos os paises corre atrás, uns nem tanto, indivíduos são presos e se beneficiam do tratamento psiquiátrico ou psicológico, suas vítimas também, mesmo assim carregando traumas pelo resto de suas vítimas, outros sem queixas aos país se tornam pedófilos também.Porquê no seio de uma religião que vem tentando nortear o mundo há dois mil anos abriga-se tantos pedófilos? Porquê se escondem nela tantos doentes mentais e criminosos? Porquê nem a justiça dos homens nem a de Deus conseguem dar um basta nisto? Quer saber mais? Siga os links abaixo:1)Vaticano quis abafar escândalos de pedofilia, sugere documento. (EE.UU.)2) “Foi uma vitória que atribuo à publicação da matéria de ISTOÉ, pois esperávamos há muito tempo por essa decisão. Foi importante para deixar claro para a cúpula católica que acima da lei de Deus existe a lei dos homens”, disse a ISTOÉ o advogado Evandro Coutinho.3) A BBC exibiu e a Record reproduziu uma reportagem sobre os padres pedófilos, protegidos pela igreja católica em todo o mundo, inclusive no Brasil. Parabéns Luma pela ordenação da blogagem coletiva.Dácio Jaegger.............................................................................................................02/01/2008Ceci enviou-me este nascente em Barra Grande, Alagoas. Atrás de mim a escuridãoda noite vislumbrada com ameaça de temporal. Não resisti e a imaginação voou.Salve esta nova criança velha atualmente apelidada por 2008.Se afagos lhe fizermos, se a soubermos conduzir com instruçõessob medida e justiça social, daqui a trezentos e sessentae dois dias não quereremos dar-lhe um chute no trazeiro. A mulher de Onofre choramingouA mulher do Onofre, vestida alegremente, colante de saias curtas, bundinha arrebitada, os peitos, ah, os peitos, virgens de silicone, modelados pela natureza, um colo que, como um pára-raios atraía os olhos tanto de homens quanto de mulheres, as despeitadas de caráter e de seios. Sorridente, vez por outra choramingava com a parentada; a do seu lado que a conhecia muito bem e a do lado do de cujus que se lixava para ela. Não sabia como mudar o tom do choramingo. Confusa, jogava para duas platéias ao mesmo tempo. Ansiosa, aguardava pelo fim do martírio, não via a hora de pegar o carro e sair bairro. Sem filhos, nada que a obrigasse a curtir a choradeira, não tirava Betinho do pensamento. Ele a aguardava do outro lado...Armadilha para meus queridos amigas e amigos.Aqui comecei um conto e no endereço abaixo continuo. Se tens nervos de aço, mais uma decantada coragem é o momento de testar-se. Tudo por que ando cismado que ainda serei um escritor. Só os caríssimos poderão dar o empurrãozinho se acharem que vale à pena. Lido o conto, um pouco abaixo tem isto:1) PARA MAIS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS CLIQUE AQUI;2) clicado chega-se à cabine de votação e nela num retângulo vermelho as palavras VOTE AQUI.3) É para o e-mail que deve levar no campo Assunto o nº 203 (A mulher de Onofre choramingou). Pimba! Enviar. Cai na urna. Um vinhozinho, brrrrrr, vamos lá? Beijos e abraçosDácio JaeggerUm hai kai originalmente tem que ter rigorosamente 17 sílabas.Ele valoriza a concisão e a objetividade. O principal haicaísta foi Matsuô Bashô (1644-1694), no Japão ...

Nenhum comentário: